R O B E R T O C A R L O S

Minha curiosidade por Roberto Carlos começou quando eu tinha 5 anos de idade, ao ouvir o LP da Jovem Guarda e vê-lo nas capas de revista da época. De lá pra cá, fui me tornando cada vez mais - não um fã mas um admirador racional do Rei. Louvo suas virtudes, mas também o critico quando faz bobagens. Só que as qualidades dele estão sempre superando os defeitos. E ainda por cima me identifico com as coisas que diz, que faz, que compõe. É como se tivesse sido meu irmão mais velho em outra encarnação. Ou qualquer coisa que o valha.
Esse pensamento talvez seja exatamente o mesmo de milhões de brasileiros. Para todos, então, as curiosidades do Rei que selecionei com muito carinho. Algumas estão na meu livro "Curiosidades da Música Brasileira Popular", outras não.
                           Roberval Medeiros (Daniel Bueno)



CIRURGIA PLÁSTICA
Roberto Carlos chegou a fazer uma operação plástica no nariz, em 1965, para corrigir um pequeno defeito que só os amigos íntimos conseguiam notar.

O COMEÇO DE RC
Carlos Imperial apresentou Roberto Carlos a uma turma da bossa-nova que se reunia num apartamento na Avenida Atlântica. Disse, na ocasião, que Roberto seria o futuro príncipe da bossa-nova. Acompanhado do guitarrista Gato, ao violão, Roberto cantou Brotinho Sem Juízo.

ROBERTO E CAUBY
Roberto Carlos conheceu Cauby Peixoto no elevador da RCA. Ele estava com Erasmo e levava

um disco 78rpm como referência profissional. De repente, a porta se abriu e entraram Cauby e Di Veras, seu empresário. Roberto e Erasmo aproveitaram para dizer a Cauby que eram seus fãs.

 

ROBERTO EM QUADRINHOS
Roberto Carlos participou da fotonovela "Assim quis o destino", da revista Sétimo Céu, em 1958.

NÚMEROS DE ROBERTO CARLOS
A revista Fã-Clube, da Imprima, lançou uma série contando a vida e a carreira de Roberto Carlos. Informa que RC vendeu 744 cópias do primeiro LP, Louco Por Você; vendeu 9.555 cópias do 2o LP, Splish, Splash; 57.951 do terceiro LP, É Proibido Fumar; 92 mil do LP Canta para a Juventude; O LP de 1966 (não há números do LP Jovem Guarda), que tem "Esqueça", vendeu 351.386 exemplares. O Inimitável (1968) saiu com 513.203 discos vendidos, e o de 69 teve uma queda: 399.617 cópias vendidas. O disco de Jesus Cristo (1970) chegou a 458 mil cópias.

PRIMEIRA VEZ
A primeira apresentação pública de Roberto Carlos lhe rendeu 500 cruzeiros de cachê. Foi no programa Chianca de Garcia, na TV Rio. Depois, se apresentou no Clube do Rock, de Imperial, e arranjou um contrato de 8 meses para ganhar 9 mil cruzeiros mensais na Boate Plaza.

A CASA
A casa onde Roberto Carlos nasceu fica na rua João de Deus Madureira, em Cachoeiro do Itapemirim, no bairro do Recanto. A casa tem três quartos.

O REI
Roberto Carlos diz não se lembrar quem o chamou de "rei" a primeira vez. Ele acha que foi alguém da platéia que o chamou assim, e a coisa foi pegando.

NAMORADINHA DE UM AMIGO MEU
Essa música foi feita por Roberto Carlos a pedido de um conjunto da época que a gravaria. Só que teria que gravar logo no dia seguinte à solicitação. Aí, o grupo acabou não gravando, e RC a incluiu no disco de 1966.

O PRIMEIRO DISCO DO REI
Em setembro de 1959, Roberto Carlos surgiu com um disco de 78rpm lançado pela Polydor. As músicas eram Fora do Tom e João e Maria. A primeira a ser gravada foi Fora de Tom.

NO COMEÇO
Por volta de 65/66, Roberto Carlos costumava iniciar seus shows cantando "Coimbra", uma das faixas do seu disco "Jovem Guarda".

SUCESSO QUE VIROU HINO
A música Meu Pequeno Cachoeiro foi oficializada em 1966 como o hino do município de Cachoeiro do Itapemirim/ES. O autor é Raul Sampaio, cachoeirense, como Roberto Carlos, que a gravaria em 1970.

SUBSTITUTO
Certa vez, Roberto Carlos disse que seu substituto seria o cantor Sérgio Sampaio, aquele que fez sucesso com apenas uma música: "Eu quero é botar meu bloco na rua". Sérgio Sampaio já morreu.

MARCA CALHAMBEQUE
Roberto Carlos disse no programa Quem Tem medo da Verdade (1970): "As calças Calhambeque me deram bastante dinheiro. Talvez por falta de controle, não tenham me dado um lucro maior. Muita gente diz que fui roubado. Deu até confusão na época".

REVELAÇÕES DE RC
Disse Roberto Carlos: "Cantei a primeira vez aos 9 anos de idade na Rádio de Cachoeiro do Itapemirim, a pedido de minha mãe, que na verdade queria que eu fosse médico. Eu também queria ser médico. O programa era apresentado às 9 da manhã, aos domingos. E quando voltei pra casa, o pessoal da rua estava me esperando para comentar minha apresentação na Rádio".

NEGRO GATO
O compositor Getúlio Côrtes revelou que a música Negro Gato, de sua autoria, nasceu de um gato que não o deixava dormir. Um dia, ele se levantou de madrugada e fez a música, que nada tem de causa negra, como pensava a crítica na época. Fez grande sucesso com Roberto Carlos em 1966/67.

REVELAÇÕES DE ROBERTO
Disse Roberto Carlos: "Os Sputniks era formado por mim, Tim Maia, Erasmo, Arlênio Trindade e o Chininha (Zé Roberto). Cantávamos músicas de Elvis. Eu e Erasmo ainda não compúnhamos. Tocávamos mais pelo prazer: quando não nos pagavam, nem ficávamos chateados".

THE SNAKES
Esse era o nome de um conjunto que tocava em maio de 1958 tendo na sua formação Erasmo Carlos, Arlênio, China e Edson Trindade, acompanhando o iniciante Roberto Carlos.

APARECE TIM MAIA
Tim Maia aparece em junho de 58 e convida Roberto Carlos para formar o grupo Os Sputniks.

Roberto só fica um mês: briga com Tim Maia, que logo depois também deixa o grupo.

DISSE ROBERTO CARLOS
"Na época da bossa-nova, meus ídolos eram Tito Madi e João Gilberto".

SUPERSTIÇÃO REAL
Disse Roberto Carlos: "Meu avô não gostava de usar marrom quando montava a cavalo. Ele era cismado com essa cor. Aquilo me ficou na cabeça. Quando fui comprar uma camisa, na época da Jovem Guarda, e era marrom, voltei atrás ao lembrar da superstição do meu avô".

LEMBRANDO
Diz Roberto Carlos: "Quando estou cantando nos meus shows, tenho que ver as letras das músicas, porque não consigo me lembrar de todas elas".

O DESEJO DE ROBERTO
Roberto Carlos: "Eu gostaria que Chico Buarque gravasse uma canção minha. Eu sou fã do Chico".

ROBERTO
Disse o Rei em 1970: "Minha editora tinha muitos problemas. Eu saí dela. Agnaldo Timóteo gravou Meu Grito e não recebeu nada pela interpretação. Martinha editou 'Eu daria Minha Vida' e também não recebeu nada. Nem eu também. Estou acionando a editora na Justiça".

PIONEIRO
O primeiro fã-clube de Roberto Carlos foi organizado na casa de uma menina no bairro de Santo Cristo, no Rio. Roberto Carlos esteve presente à inauguração. Era julho de 1962.

MOTIVO
"Gravei a música Oh, meu imenso amor de maneira diferente, porque quis homenagear o estilo dos anos 30. Ali, faço uma homenagem a Mário Reis e Orlando Silva. Tivemos a preocupação de fazer uma caricatura da época, inclusive mudando o timbre e o som", disse Roberto Carlos no programa Quem Tem Medo da Verdade, em 1970, na TV Record.

JESUS CRISTO
A música Jesus Cristo, segundo seu autor, Roberto Carlos, só ficou pronta seis meses depois de iniciada. A inspiração de Roberto nasceu logo depois de um show que ele fez num clube local de Cascavel, interior de Santa Catarina.

LUIZ CARLOS ISMAIL
Esse eterno acompanhante de Roberto Carlos, hoje no coro da orquestra do Rei, participou de duas músicas no início da carreira: é ele quem apita na música Parei na contramão (faz o apito do guarda), e faz o Frankenstein na música Noite de Terror.

OS TERRÍVEIS
Esse foi o nome que Carlos Imperial deu ao grupo que formou com Roberto Carlos (chamado, então, de Elvis Presley brasileiro), Edson Morais, Amílcar, Vítor Sérgio e João Maria.

TINHA QUE SER SUCESSO
A música Eternas Ondas, de Zé Ramalho, foi composta especialmente para Roberto Carlos gravar. Os dois passeavam no Iate Lady Laura e Zé Ramalho aproveitou para mostrar Eternas Ondas a Roberto, que acabou não gravando, o que fez Zé Ramalho entregá-la a Fagner. O resto todo mundo sabe.

OUTRA DO REI
Roberto Carlos pediu a Gilberto Gil uma música para gravar no LP de 1981. Gil fez Se Eu Quiser Falar Com Deus e Roberto não a gravou alegando que aquela não era a idéia que ele tinha de Deus.

THE SNAKES
O grupo, com Erasmo e já sem Roberto Carlos, gravou em fevereiro de 1959 um disco com quatro músicas carnavalescas, acompanhando um cantor desconhecido. Foram impressas apenas mil cópias.

ROBERTO CARLOS
Entrou no estúdio da Columbia em julho de 1960 para gravar "Brotinho sem juízo" e "Canção do amor nenhum", acompanhado da Orquestra de Lírio Panicalli, e com autoria de Carlos Imperial.

PRIMEIRO LP DO REI É LANÇADO
Gravado em novembro de 1960, o primeiro LP de Roberto Carlos é lançado em janeiro de 1961

com rocks, sambas, boleros e fox. O título é "Louco por você", com a participação da orquestra de Astor, pela Columbia (37.171). Roberto Carlos não aparece na capa. Aparece só o desenho de um casal, tirado de um disco americano.

 

78 ROTAÇÕES
No mês seguinte (fevereiro/61), a Columbia lançou um 78 rotações com as músicas "Louco por você" e "Não é por mim", extraídas do 1o LP de Roberto Carlos.

"CAITITUANDO"
Roberto Carlos tinha a mania de, ele mesmo, ligar para a Rádio Mayrink Veiga pedindo para tocar a música "Louco por você", no programa "Peça Bis pelo Telefone". Roberto inventava um bocado de nomes e mudava a voz.

O REI QUE FOI VAIADO
Roberto Carlos foi vaiado quando defendia a música Maria, Carnaval e Cinzas, no 3o Festival de MPB da TV Record, em outubro de 1967. A música era de Luiz Carlos Paraná e o acompanhamento foi feito pelo conjunto O Grupo.

A PRIMEIRA DE ROBERTO
Em setembro de 1961 surge, pela primeira vez, uma música de Roberto Carlos nas paradas: "Louco por você". A música é incluída na série As 14 Mais da CBS - volume 6 - e é uma das mais pedidas no Rio de Janeiro. Mas só no Rio.

OUTRO DISCO
Em novembro de 1961, Roberto Carlos lançou mais um 78 rotações: "Suzie" e "Triste e abandonado" (Columbia/3239). Nesse mesmo mês, Wanderléa lança seu 2o disco - 78 rotações - com as músicas "Ao nascer do sol" e "Quero amar" (Columbia-3248)

ROMANCE
Em setembro de 1961 falou-se num romance entre Roberto Carlos e Rosemary.

PRIMEIRO ENCONTRO
Foi em março de 1962 que Wanderléa conheceu Roberto Carlos. Isso aconteceu nos bastidores da Rádio Nacional. Ficaram logo amigos.

MAIS UM DISCO DO REI
Roberto Carlos lançou em abril de 1962 outro 78 rotações, com as músicas "Fim de amor" (Run around sue) e "Malena", pela Columbia (3206). Na coletânea das 14 Mais, RC apareceu com Malena, que tem o acompanhamento dos Snakes, de Erasmo. Na imprensa, comentava-se na época que Roberto estava engordando e precisava fazer um regime com urgência.

ROBERTO NAS PARADAS
Roberto começou mesmo a aparecer nas paradas do Rio em junho de 1962, com "Malena". Com o dinheiro arrecadado na venda do disco, Roberto resolve sair do bairro do Lins para morar de aluguel num apartamento da rua Gomes Freire, para onde levou toda a família.

O REI NO CINEMA
Roberto Carlos foi figurante no filme "Agüenta o Rojão", em 1958, aparecendo vestido de caipira, com bigode postiço e roupa remendada. Direção: Livio Bruni. Elenco: Zé Trindade, Reginaldo Farias, Zezé Macedo, Carlos Imperial e Roberto Carlos. No filme "Minha sogra é da Polícia", Roberto e Erasmo apareceram tocando para Cauby Peixoto cantar. Direção: Livio Bruni. Elenco: Violeta Ferraz, Costinha, Carlos Imperial, Erasmo Carlos, Roberto Carlos.


FILME EM 1957
Algumas fontes garantem que Roberto também participou do filme "Alegria de Viver", dirigido por Watson Macedo, e do qual participaram também Ioná Magalhães, John Herbert, Eliane Macedo e Carlos Imperial. O site oficial do grupo Os VIPS é uma das fontes.

ROBERTO CARLOS EM RITMO DE AVENTURA
Filmado em 1967, teve a produção e direção de Roberto Farias. Elenco: Roberto Carlos, José Lewgoy, Reginaldo Farias, Rose Passini.
A primeira superprodução estrelada por Roberto Carlos seguiu o mesmo estilo de Help, grande sucesso dos Beatles. Nele, os truques cinematográficos da época não foram poucos, e nem as namoradinhas, que ao todo eram sete. Neste filme de ação, Roberto entrou mesmo em ritmo de aventura, em que teve de brigar com muitos bandidos.

ROBERTO CARLOS E O DIAMANTE COR DE ROSA
Filmado em 1969, teve a produção e direção de Roberto Farias
Elenco: Roberto Carlos, Erasmo Carlos, Wanderléa, José Lewgoy.
Este filme tornou-se um dos maiores êxitos de bilheteria da época. Novamente estava reunindo o trio da Jovem Guarda, desfeito anteriormente. Os três amigos viveram aventuras em vários países da África e da Ásia, atrás de um diamante perdido dois mil anos antes, e enfrentando um grupo de bandidos, liderados por José Lewgoy. Neste filme Roberto lançou diversos sucessos, como "Não Vou Ficar".

ROBERTO CARLOS A 300 KM POR HORA
Mais uma produção e direção do cineasta Roberto Farias
Elenco: Roberto Carlos, Erasmo Carlos, Libânia Almeida, Raul Cortez, Otelo Zeloni, Walter Foster, Flavio Migliaccio, Reginaldo Farias, Mário Benvenuti. Desta vez, Roberto Carlos achou que já podia desligar a imagem de cantor do trabalho de ator e partiu para um outro tipo de filme, com roteiro de Bráulio Pedroso. A aventura também estava presente, mas Roberto não cantou uma só vez. Sua voz ficou apenas na trilha sonora. "De tanto amor" foi o sucesso do filme. Roberto fez o papel de Lalo, um jovem mecânico que se transformou num ás do automobilismo, vencendo uma corrida importante em lnterlagos, e que se apaixona pela namorada do patrão (Raul Cortês), este um corredor fracassado.

ESQUEÇA
A música Esqueça, de Roberto Carlos, apareceu nas paradas de sucesso da Argentina em março de 1967.

O GRITO DO REI
A música Meu Grito, sucesso de Agnaldo Timóteo em setembro de 1967, foi uma música feita por Roberto Carlos para sua futura mulher, Cleonice Rossi.

O PAI DE RC
Seu Robertino Braga revelou: “Meu filho Roberto Carlos só deixou de chupar chupeta aos 8 anos de idade”.

ROBERTO NO CIRCO
No início do ano de 1963, Roberto Carlos passou a fazer muitos shows em circos, principalmente no interior. RC ficava com 50% da bilheteria.

RENATO COM ROBERTO
Em fevereiro de 1963, o conjunto Renato e Seus Blue Caps foi contratado pela Columbia para acompanhar Roberto Carlos na gravação de "Splish, splash".

O FAMOSO RC-7
O RC-7, conjunto de Roberto Carlos, tinha a seguinte formação em junho de 1967: Dedé, na bateria; Bruno, no baixo-elétrico; Gato, na guitarra-solo; Wanderley, no órgão; Nestico, no sax; Raul, no trombone; e Maguinho, no Piston.

ROBERTO CARLOS NA TV
O contrato de Roberto Carlos com a TV Globo foi assinado no dia 4 de fevereiro de 1974, com a presença do empresário Marcos Lázaro e dos diretores Bôni e Borjalo. No contrato, RC se comprometia a se apresentar nos programas Globo de Ouro e Fantástico, além de realizar um especial todo final de ano. O primeiro especial, que teve a direção de Augusto César Vanucci, foi ao ar em 24 de dezembro de 1974.

INVESTIMENTOS DE RC
Em janeiro de 1967, Roberto Carlos comprou dois postos de gasolina no Shopping Center de São Paulo e colocou a sigla ROCAR, primeiras sílabas do seu nome. Nessa época, RC também era dono do restaurante Barra Limpa.

OUTRO PROGRAMA DE RC
Em fevereiro de 67, Roberto Carlos apresentava o programa Rio, Jovem Guarda, pela TV Rio.

LANÇAMENTOS
Em abril de 1967 foi lançado na praça o compacto simples (CBS-33475), de Roberto Carlos, com as músicas Só vou gostar de quem gosta de mim e Tudo que sonhei. A primeira, de Rossini Pinto, faria parte do LP de fim de ano do Rei (Em Ritmo de Aventura).

RC LÁ FORA
Roberto Carlos foi eleito o melhor cantor de 1966 em Moçambique, na época uma colônia portuguesa da África.

EM RITMO DE AVENTURA
As sete moças que trabalharam no filme Em Ritmo de Aventura, ao lado de Roberto Carlos, foram: Rose Passini, Marisa Levy, Guiomar Yukwa, Grace Lourdes, Ana Regina Levi, Márcia Gonçalves e Elisabeth Faria.

INTRIGA ENTRE ROBERTO E ERASMO
Roberto Carlos e Erasmo Carlos ficaram sem se falar por quase 1 ano, e reataram a amizade em agosto de 1967 quando compuseram juntos Eu sou terrível, música que entraria no LP Em Ritmo de Aventura. Erasmo fez a letra em 20 minutos.

O MOTIVO DA BRIGA
E por que Roberto e Erasmo ficaram sem falar esse tempo todo? Embora os dois apresentassem juntos

o programa Jovem Guarda, ficaram de mal um com o outro por causa de uma participação de Erasmo no programa de Wilson Simonal. Erasmo não falou no nome de Roberto quando eram citadas as autorias das músicas feitas em parceria. Aí, o Rei se chateou e os dois ficaram "intrigados" por oito meses.

RC NO FESTIVAL
Roberto Carlos ficou em 5o lugar no 3o festival de MPB, da TV Record, com a música Maria, Carnaval e Cinzas, de Luiz Carlos Paraná, e acompanhamento de O Grupo. Foi no dia 20 de outubro de 1967.

DORIVAL FALA DE RC
Declaração bombástica do compositor Dorival Caymmi, nos anos 60: "Roberto Carlos é o cantor de maior comunicação humana que já vi".

REVELAÇÃO
Bomba!!! Roberto Carlos tem namorada firme!!! Ela se chama Cleonice Rossi Martinelli, é filha do jornalista Edmundo Rossi, e é desquitada. A revelação foi feita em novembro de 1967.


ROBERTA
A música Esqueça é um versão de Forget Him feita pela jovem Roberta Corte Real, que era filha de Roberto Corte Real, diretor artístico da CBS, o mesmo que "recomendou" Roberto Carlos na contracapa do LP "Louco por Você" (1961).

SAN REMO
O rei Roberto Carlos se torna o primeiro estrangeiro a ganhar o Festival de San Remo, na Itália. Foi em fevereiro de 1968, defendendo a música Canzone Per Te.

CLASSIFICAÇÃO
Roberto Carlos teve um total de 15 votos contra 11 do 2o colocado no Festival de San Remo, em 1968. Quando voltou ao Brasil, 10 mil pessoas foram recebê-lo no Galeão. E no dia 17 de fevereiro, ele abandona o programa Jovem Guarda.

FOFOCA!
Diziam na época (66/67) que a música "Namoradinha de um amigo meu", de RC, era uma referência que o rei fazia ao costureiro Denner, cuja mulher, Maria Stella Splendore, teria tido um "flerte" com Roberto Carlos.

LANÇAMENTO
Em fevereiro de 1968, a CBS lança um compacto simples de Roberto Carlos com as músicas Canzone Per Te e L'Última Cosa (CBS-33.536).

ROBERTO CARLOS ESTRÉIA PROGRAMA
Foi no dia 15 de março de 1968, uma sexta-feira, que Roberto Carlos estreou o programa Roberto Carlos à Noite, na TV Record. Um programa de música e entrevistas.

O QUE ELE DISSE
O rei revela: "Quando eu era criança, gostava de cantar 'Olinda' e 'Minha Casa', aos 12 anos de idade". E ainda diz: "Aos 12 anos, eu saí de Cachoeiro para cantar no Clube do Guri, no Rio de Janeiro. Depois, voltei para Cachoeiro. Quer dizer, eu desde menino já tenho uma certa intimidade com o microfone".

MUDANÇAS
Invenção do Rei!!! Roberto Carlos lança moda: passa a usar bigode estilo chinês e óculos de aros redondos. E Erasmo, roupas de cow-boy. Mas dura menos de um mês (abril de 1968.)

OUTRA DE RC
Novo programa de Roberto Carlos: em abril de 1968, ele apresenta o Roberto Carlos-68, transmitido do Teatro Carlos Gomes, com participação de Bibi Ferreira, Erasmo, Wanderley Cardoso, Jerry Adriani, Rosemary e Vanderléa.

O GRITO DE ROBERTO CARLOS
Um dos maiores sucessos do cantor Agnaldo Timóteo foi "Meu Grito", lançada em 1967. A composição é de Roberto Carlos, e o Rei fez a música para Nice, sua namorada na época. Outras músicas que RC fez para Nice: "Como é grande o meu amor por você", "E por isso estou aqui", "Por isso corro demais" e "De que vale tudo isso", todas do LP Em Ritmo de Aventura, de 1967, ano que Roberto Carlos namorava com Nice, e se preparava para casar com ela em maio do ano seguinte.

PARADÃO JOVEM GUARDA
Em maio de 1968, quem liderava as paradas de sucesso no País era Roberto Carlos com a música "Canzone Per Te". A segunda música mais tocada era "Pra nunca mais chorar", com Vanusa.

REVISTA
Você sabia? Em maio de 1968, a revista Sétimo Céu lançou um compacto duplo promocional com as músicas "Eternamente", do 1o LP de Roberto Carlos (1961), e ainda "Eu Amo Demais", "O Tempo vai Apagar" e "Na Lua não há".

O CASAMENTO DE ROBERTO E NICE
Ocorreu no dia 10 de maio de 1968, às 10h da manhã, em Santa Cruz de La Sierra, Bolívia. A lua-de-mel foi em Nova Iorque.

O REI NOS STATES
O LP "Em Ritmo de Aventura" foi lançado nos Estados Unidos com o título "IT'S TIME OF LOVE" (É tempo de amar). Mas Roberto Carlos canta todas as músicas em português. Isso foi em agosto de 1968.

FALIU!
A firma Magaldi-Maia-Prosperi, que lançou todos os produtos da Jovem Guarda, faliu em agosto de 1968, deixando uma dívida de 130 milhões de cruzeiros com Roberto Carlos, e 26 milhões com Erasmo.

A RESPOSTA DE ROBERTO
Em agosto de 1968, a CBS lança na praça um compacto simples com uma música que seria um estouro: "Eu te amo, te amo, te amo", que faria parte do final de ano.

DEPOIS DA BRIGA
Durante o desentendimento entre Roberto e Erasmo Carlos, que durou oito meses, entre 66 e 67, Roberto se lembrou do amigo ao compor "Quando", que diz: "Quando você se separou de mim, quase que a minha vida teve fim". E depois de fazerem as pazes, Roberto fez "E por isso estou aqui", para o amigo. Observe que no LP Em Ritmo de Aventura (1967) não há a parceria Roberto-Erasmo, nem Erasmo participa do filme do mesmo nome.

OUTRO PROGRAMA DO REI
O rei Roberto Carlos passa a apresentar outro programa na televisão: é o "Todos os Jovens do Mundo", com produção de Solano Ribeiro, em São Paulo. Na TV Tupi Rio, ele apresenta o RC-68.

PRIMEIRO CARRO
O primeiro carro que Roberto Carlos comprou foi um Volks ano 59.

REVELAÇÕES DO REI
Disse Roberto Carlos: "A primeira música que eu compus foi aos 18 anos e nem tinha título. Era mais ou menos assim: 'Perto de mim seu rosto, perto de você minha boca, perto de mim seus olhos, perto de nós o amor...'. Nem foi gravada, mas a segunda composição já foi para o disco: foi "Suzie".

O PRIMEIRO GRANDE LP DE ROBERTO
Foi lançado em setembro de 1963. Era o segundo LP de RC, com direção de Astor e sua orquestra (Columbia/37.304).

As músicas: "Splish, splash", "Parei na contramão" (primeira parceria de Roberto e Erasmo), "Professor do Amor", "Nunca mais te deixarei", "Quero me casar contigo", etc.

 




SUPERSTIÇÃO
Roberto Carlos não dá marcha à ré no carro que estiver dirigindo, nem permite que seu motorista o faça.

RC ANTES DA BOSSA-NOVA
Disse Roberto Carlos: "Antes da bossa-nova, participei de todos os programas de rock no Rio de Janeiro. Mas precisava ganhar dinheiro e parti para a bossa-nova. Consegui um emprego de crooner na boate Plaza para cantar só bossa-nova. Cantava "Desafinado", "Rosa Morena" e outros sucessos da época. Foi lá que o Imperial me reencontrou e perguntou: 'Você agora é da bossa-nova?'. Eu disse: 'Sou sim, e estou até compondo bossa-nova'"(risos).

OS CONJUNTOS DO REI
Depois de passar algumas semanas no grupo The Snakes (com Erasmo), Roberto Carlos entrou no conjunto Os Terríveis, que já tivera Carlos Lyra como crooner. Um dos componentes era o ator e comediante Paulo Silvino.

VENDAGEM DO PRIMEIRO
O disco "Louco por Você", o primeiro LP de Roberto Carlos, lançado em 1961, vendeu somente 3.500 cópias em 1 ano. Depois, sumiu do mercado. Até hoje, o Rei não autorizou ainda seu relançamento.

DISCO DO REI
No LP "É Proibido Fumar", Roberto Carlos teve o acompanhamento do conjunto Youngsters. As gravações foram realizadas em três sessões, nos dias 8, 17 e 18 de junho de 1964. Com esse disco, Roberto Carlos se igualou a Carlos Alberto, o rei do bolero, como bom vendedor de discos da CBS.

DISCO EM ESPANHOL
No dia 25 de setembro de 1964, Roberto Carlos entrou em estúdio com os Youngsters para gravar seu primeiro disco em espanhol: o LP É Proibido Fumar. O disco foi gravado em uma única sessão, e lançado na Argentina com o título de "Canta a la Juventud".

ROBERTO CARLOS
Quando dona Laura, mãe de RC, resolveu se mudar de Cachoeiro para Niterói, no Rio, era o ano de 1957 e já estava separada de seu Robertino, pai de Roberto, embora continuassem morando juntos. Em Niterói morava a Tia Dinda, a Dindinha, que já acolhera Norma, irmã de Roberto. Os irmãos Lauro Roberto e Carlos Roberto serviam como sargentos à Aeronáutica, o primeiro no interior de São Paulo, o segundo no Rio.

E DEPOIS?
Roberto Carlos foi morar em Niterói com a Tia Dindinha e se matriculou no Colégio Brasil. A irmã Norma, que já morava com a tia, trabalhava de caixa numa firma chamada Acisa. Dona Laura alugou o sobrado de número 59 da rua Pelotas, em Lins de Vasconcelos, e lá reuniu finalmente os filhos. Nessa ocasião, o futuro filho famoso entrou na Escola Ultra, na Praça da Bandeira, para estudar datilografia.

FESTIVAL
Roberto Carlos participou do 2o Festival da MPB, da TV Record, defendendo a música "Flor Maior", de Célio Borges Pereira.

ROBERTO CARLOS
O cantor que se tornaria Rei da Juventude Brasileira nasceu em 19 de abril de 1941, em Cachoeiro do Itapemirim/ES, pesando 2 quilos e 250 gramas, e medindo 42 centímetros. Roberto Carlos Braga nasceu em casa, na praça Dr. Luiz Tinoco, 33.

OUTRO CASAMENTO DO REI
Roberto Carlos casou-se com Maria Rita Simões no dia 15 de abril de 1996, dia do aniversário dela, e uma semana antes de ele completar 55 anos de idade. RC conheceu Maria Rita num show que fez em Campos do Jordão, no final dos anos 70. A família proibiu o namoro porque Maria Rita tinha apenas 16 anos. RC passou 11 anos com Míriam Rios, até que reencontrou-se com a futura esposa, que morreria de câncer em 1999.

RC DE NOITE
O programa Roberto Carlos à Noite estreou no dia 15 de março de 1968, na TV Record, apresentando, nessa noite, Pelé, Denner, Martinha e Sérgio Endrigo.

OUTRO PROGRAMA
Roberto Carlos ainda chegou a apresentar um programa chamado OPUS-7, só de música clássica, na TV Record.

ROBERTO NA ESCOLA
Roberto Carlos aprendeu a ler e escrever no Grupo Escolar Graça Guárdi, em Cachoeiro do Itapemirim. Logo se mudou para o Colégio Cristo Rei. Na Escola Muniz Freire, RC passou no 3o ano como 2o lugar da classe, e no 4o ano, ficou em 1o lugar. Nessa escola, seu forte era o Português.

DISCO RARO
Em 1968, a revista Sétimo Céu número 1 lançou um compacto duplo chamado "Roberto hoje e de ontem" com as músicas inéditas: "O tempo vai apagar" e "Eu amo demais", e ainda "Eternamente" do LP Louco Por Você, e "Na lua não há", esta sem os efeitos especiais da nave.

RC NA ÁFRICA
Em 1966, foi lançado na África do Sul um compacto de Roberto Carlos com as músicas "Parei na contramão", "Quero me casar contigo", "Sorrindo para mim", e "Gosto do jeitinho dela".

RARIDADE
Em julho de 1964 os discos 78rpm saíram de cena para dar lugar aos compactos simples de 33 rpm. A CBS lançou o primeiro compacto simples de Roberto Carlos (Parei na contramão) em duas versões: uma com a foto dele, de braços cruzados, e outra sem foto.

A PRIMEIRA CAPA
A capa do primeiro LP de Roberto Carlos, Louco Por Você, trazia a foto de um casal, ela com uma flor na mão. Na verdade, essa foto é de um disco americano de Ken Griffin. As letras foram retiradas e sobrou somente a foto, que foi usada no primeiro LP de Roberto, lançado em agosto de 1961.

PRIMEIRO
Roberto Carlos comprou seu primeiro carrão em dezembro de 1963: um Chevrolet 55, branco, conversível, com vidros ray-ban. Nesse mesmo mês, saiu um 78 rotações (CBS-3314) de RC com as músicas "Parei na contramão" e "Na lua não há", extraídas do LP.

PRIMEIRA FOTO
A primeira vez que saiu a foto de Roberto Carlos numa capa de disco foi no álbum duplo promocional "Jóias Musicais", da Columbia, em 1960, que tinha 60 músicas. Roberto apareceu com a faixa "Brotinho sem juízo".

FOTONOVELA DO REI
Roberto Carlos participou de uma fotonovela da revista Sétimo Céu, em 1959, que tinha o título "Assim quis o Destino", com argumento de Mary Lee, direção e fotos de Victor Gomes e coordenação de Alberto Jacob. Roberto Carlos fazia o papel de Ricardo, e a mocinha era Mary Fontes, que fazia o papel de Rosinha. Ainda participaram Ilka Monteiro (Lilian) e José Fulgênio (o mordomo).

OS DISCOS 78 DE ROBERTO
Os compactos de 78 rotações lançados por Roberto Carlos foram estes: 3130, Columbia, agosto/60, com Canção de amor nenhum e Brotinho sem juízo; 3168, Columbia, setembro de 1961, com Louco por Você e Não é por mim; 3206, Columbia, abril de 1962, com Fim de amor e Malena; 3239, CBS, com Suzie e Triste e abandonado; 3274, CBS, abril de 1963, com Splish, Splash, e Baby, meu bem; 3316, CBS, fevereiro de 1964, com Parei na contramão e Na lua não há; e finalmente o 3328, CBS, em julho de 1964, com É proibido fumar e Minha história de amor.

ROBERTO EM SÃO PAULO PELA PRIMEIRA VEZ
A primeira apresentação de Roberto Carlos em São Paulo foi em maio de 1964. RC chegou do Rio dirigindo seu próprio carro, hospedou-se no Hotel Jandaia, na avenida Duque de Caxias, e seguiu para a TV Excelsior, Canal 9, para cantar no programa "Os Astros do Disco", de Randall Gulliano. Cantou "Parei na contramão" e a reação do público foi excelente.

ROBERTO EM RECIFE
Em junho de 1964, RC esteve no Recife, de onde levou uma dúzia de garrafas da aguardente Pitu. Disse que era para distribuir com os amigos.

ROBERTO E ERASMO
A música "Sentado à Beira do Caminho" foi composta por Roberto e Erasmo em 1969 como despedida do recém-falecido movimento Jovem Guarda. A letra demorou por conta do refrão, que não saía de jeito nenhum. Depois de um cochilo, Roberto acordou dizendo: "Preciso acabar logo com isso", que serviu para marcar o refrão.

O TERCEIRO DO REI
O terceiro LP de Roberto Carlos,

"É Proibido Fumar", foi lançado em julho de 1964 (Columbia, 37.352), ao mesmo tempo do 78 rotações com "É proibido fumar" e "Minha história de amor".

FOI SEM QUERER
Roberto Carlos acabou gravando uma música (Como dois e dois) que tinha um recado direto contra a ditadura. Os versos de Caetano Veloso são bem claros: "Tudo certo como dois e dois são cinco" e "Tudo é igual quando eu canto e sou mudo", referindo-se ao exílio de Caetano em Londres.

INIMITÁVEL
Esse foi o título do LP que Roberto Carlos lançou em dezembro de 1968, custando 12 cruzeiros novos e com três músicas já conhecidas: "Madrasta" (cantada no Festival da Record), "Te amo, te amo, te amo", e "O tempo vai apagar".

ACIDENTE COM RC
Em julho de 1964, Roberto Carlos sofreu um acidente de carro entre Três Rios e Paraíba do Sul, por causa de uma vaca. O carro capotou e Roberto Carlos foi atirado a uma distância de 10 metros do carro. Sofreu um corte profundo na orelha direita, onde levou dez pontos. O amigo Roberto Oliveira, que o acompanhava, acabou falecendo em decorrência do acidente.

BRINDE
Em setembro de 1964 foi lançado um compacto simples com a música "O Calhambeque", como brinde das canetas Sheaf Ers.

ROBERTO NA CAPA
Roberto Carlos foi capa da Revista do Rádio em dezembro de 1964 posando ao lado de Ellen de Lima. RC ganhava o troféu Roquete Pinto como "revelação do ano".

MESA DE BAR
A música "Outra Vez", que estourou com Roberto Carlos de 1977 para 1978, foi composta por Isolda, em 1977, quando ela estava num barzinho da avenida Europa, em São Paulo, acompanhada de algumas amigas que falavam de ex-namorados. Boa parte da letra, Isolda escreveu num guardanapo.

FATURAMENTO DE RC
Em janeiro de 1965, Roberto Carlos ganhava 5 milhões de cruzeiros entre shows e discos. Cada show custava, em média, 300 mil cruzeiros. Nesse mês, RC ganhou o Troféu Chico Viola, prêmio dado pela TV Record aos melhores do disco.

ASSESSORIA
Quem controlava os gastos de Roberto Carlos, em 1965, era o irmão dele, Carlos Alberto. O cantor era tido como "gastador": enchia o calhambeque de garotas para esbanjar pela cidade. Ele próprio admitiu isso numa entrevista.

O QUARTO LP DE RC
Foi em abril de 1965, que Roberto Carlos lançou o 4o LP da carreira: "Canta para a Juventude" (CBS-37.400), incluindo duas músicas que já vinham tocando em compacto simples: "Aquele beijo que te dei" e "História de um homem mau".

PRIMEIRO JOVEM GUARDA
No dia 22 de agosto de 1965, domingo, às 16h30, foi ao ar o primeiro programa Jovem Guarda, transmitido direto do auditório da TV Record, na rua Consolação, em São Paulo. Uma hora de show com a participação dos Incríveis, Tony Campello, Wanderléa, Rosemary, Ronnie Cord, The Jet Blacks, Erasmo Carlos e Prini Lorez.

ROBERTO NA ARGENTINA
Em setembro de 1965, a versão castelhana de O Calhambeque esteve no 3o lugar das paradas da Argentina.

A RESIDÊNCIA DE ROBERTO CARLOS
Em outubro de 1965, Roberto Carlos morava no Posto 6, no Rio, num apartamento próprio, com os pais. O irmão mais velho, Carlos Alberto, era seu conselheiro e empresário. Roberto Carlos tinha na época 1m69 de altura e pesava 66 quilos. Tinha três carros, incluindo um Impala 61. Revelou na ocasião que quem o levou para o disco foi o animador Chacrinha.

LP JOVEM GUARDA
O tão esperado LP de Roberto Carlos, em 1965, foi lançado em novembro com o título Jovem Guarda. Era o quinto da sua carreira e traria seu maior sucesso: "Quero que vá tudo pro inferno". Logo tornou-se o mais tocado e o mais vendido no país inteiro.

RC NO PALCO
Aquela reverência que Roberto Carlos faz quando termina de cantar (baixando a cabeça) foi criada por ele em dezembro de 1965. E ele só volta à posição normal quando cessam os aplausos.

O ÚLTIMO 14 MAIS
A última participação de Roberto Carlos na série As 14 Mais foi no volume 28, com as músicas "É preciso saber viver" e "Eu me recordo".

ROBERTO COM RENATO
Segundo o cantor Reynaldo Rayol, Roberto Carlos e Wilson Simonal fizeram coro na faixa "Eu quero twist" do LP Twist de Renato e Seus Blue Caps, formado nessa época (1962) por Renato, Ed Wilson, Paulo César, Simonal, Cláudio e Ivan Boticelli.

ROBERTO NAS NOVELAS
Roberto Carlos esteve em seis novelas da TV Globo: Lua Cheia de Amor, 1991, com "Mujer"; O Dono do Mundo, 1991, com "Super Herói"; Pedra Sobre Pedra, vol.2, 1992, com "Pergunte pro seu coração"; Renascer, 1993, com "Dito e feito"; Tropicaliente, 1994, com "Tanta solidão", e Por Amor, 1998, com "Abrazame asi".

DISCO DE OURO
O primeiro que Roberto Carlos recebeu foi pela vendagem da música "Quero que vá tudo pro inferno", em março de 1966.

A OPINIÃO DE RC
Roberto Carlos disse numa entrevista, em 1966, que Wilson Simonal era o melhor cantor do país; que Baden Powell era o melhor instrumentista, e que Elis Regina era a maior cantora.

CACHÊ
O cachê de Roberto Carlos em maio de 1966 era de 1 milhão e meio de cruzeiros.

MAIS UM SUCESSO
Em julho de 1966, a CBS lançou um compacto simples (33.442) com as músicas "Esqueça" e "'É papo firme", que constariam do LP do fim de ano de Roberto Carlos. Nesse mesmo mês, a RGE lançou o LP "Você me Acende", de Erasmo Carlos.

OUTRO ACIDENTE
Em mais um acidente se envolveu Roberto Carlos. Foi quando se dirigia à cidade de Assis/SP para fazer um show. O carro, que era do empresário Geraldo Alves, capotou, mas todos escaparam. Foi em junho de 1966.

QUEM É ELA?
Saiu na imprensa em julho de 1966: Clara Lúcia é a mais nova namorada de Roberto Carlos. Mas eram tantas...

O NOVO CARRO DO REI
Em agosto de 1966, Roberto Carlos comprou um Cadillac presidencial, blindado, por 50 milhões de cruzeiros. Tem escrivaninha, rádio, vitrola e até ar-condicionado.

OS CARROS DO REI
Em setembro de 1966, Roberto Carlos era dono dos seguintes carros: um oldsmobille 66, um cadillac presidencial, um ford 1930, dois impalas, um bel-aitr, um alfa romeu sport, um MG e um triunph sport. Pra que tanto carro?

O REI COROADO
Roberto Carlos recebeu a coroa de Rei da Jovem Guarda no programa de Chacrinha em novembro de 1966. Nesse mesmo mês, RC recebeu o título de Cidadão Carioca, através de um projeto do deputado Nina Ribeiro.

INTRIGA
Em dezembro de 1966, o cantor Sérgio Murilo revela na imprensa: "Eu detesto Roberto Carlos".

O FILHO DO REI
Roberto Carlos II, o primeiro filho de Roberto Carlos, nasceu na Maternidade Pró-Matre, em São Paulo, às 19h15 do sábado, 14 de dezembro de 1968. Nessa noite, RC ainda fez um show no Rio de janeiro.

ORDEM NO PROGRAMA DE RC
O produtor do programa "Todos os Jovens do Mundo", Solano Ribeiro, advertiu: "Só entra no programa quem se reciclar, mudar o visual, acompanhar as transformações da juventude. Roberto Carlos, por exemplo, amadureceu e melhorou o repertório.

RC EM 1968
Em outubro de 1968, Roberto Carlos revelou os seis momentos mais emocionantes da sua carreira até então: o primeiro, em 1964, quando recebeu pela primeira vez o Troféu Chico Viola pela música "Parei na contramão"; a segunda, foi no dia da estréia do programa Jovem Guarda, tanto no palco quanto na saída, quando lhe rasgaram a camisa; a terceira, foi a campanha de brinquedos para as crianças pobres; a quarta, quando recebeu o título de Cidadão Paulistano; a quinta, foi quando venceu o Festival de San Remo com "Canzone Per Te", e a sexta, foi a volta da Itália, na festa que os fãs lhe dedicaram para comemorar a vitória de San Remo.

MADRASTA
Em novembro de 1968, Roberto Carlos participou do Festival da Record com "A Madrasta". Um dos autores da música, Beto Rushel, acompanhou o Rei ao violão. "A Madrasta" foi classificada pelo júri especial e recebeu vaias e aplausos do público.

FOTONOVELA DE RC
Na revista Melodias - número 124, janeiro de 1968 - que publicava matéria com artistas da música, saiu uma fotonovela com Roberto Carlos, intitulada "Natal do Brasa". Roberto desempenhava seu próprio papel de cantor, e contracenava com o menino Samuel (Samuel Tavares de Lima), que sonhava em conhecer o Rei da Jovem Guarda.

PERUCA DE REI
Saiu na seção "Confidencial" da revista Intervalo de abril de 1968: "O novo cabelo de Roberto Carlos é uma peruca, muito bem confeccionada. Custou mais de 500 cruzeiros novos".

REVELAÇÕES DO REI
Disse Roberto Carlos: "Tive tempos difíceis, dificuldades, mas nunca passei fome, não. Sempre tive a roupinha do domingo, e nunca nos faltou o necessário pra comer, embora fôssemos de uma família humilde. Havia controle e economia dentro de casa. E foi assim também na casa da Tia Dindinha, em Niterói, e na de Tia Amélia, no Rio. Depois tive que arrumar o emprego no Ministério da Fazenda pra ajudar no sustento".

REVELAÇÕES
Disse Roberto Carlos: "Eu conheci o Erasmo quando estudava na Escola Ultra, no Rio. Meu colega Arlênio me apresentou a uma turma da rua Matoso, que era o Edson Trindade, o Tim Maia, Zé Roberto (o Chininha), e juntos formamos o grupo Sputniks. E essa turma não levava desaforo pra casa".

ROBERTO NO RÁDIO
Disse Roberto Carlos: "Dos 9 aos 14 anos eu tinha até programa de rádio, na ZYL-9, de Cachoeiro. Com 10 anos, vim ao Rio me apresentar no Clube do Guri, e voltei pra Cachoeiro".

ROBERTO CARLOS
A certidão de nascimento de Roberto Carlos foi emitida pelo escrivão e oficial do Cartório do 1o Ofício do Registro Civil de Cachoeiro do Itapemirim, Carlos Gomes. Ele certifica que na folha 204, do livro 37-C sob o número 11.674, nasceu Roberto Carlos Braga, às 5 horas da manhã do dia 19 de abril de 1941, em sua residência. Serviram de testemunhas Antonio Benevenato e Berenice Ramos.

OS AVÓS
Os avós maternos de Roberto Carlos chamavam-se Joaquim Moreira e Anna Moreira; e os paternos, José Fernandes Braga e Maria Braga. O cantor levou, portanto, o sobrenome só da parte do pai.

ROBERTO E CAUBY
Roberto Carlos, antes de gravar seu 1o disco, chegou a participar da gravação de um disco de Cauby Peixoto na música "That's rock", em 1958.

AINDA ROBERTO
Segundo Arlênio Lívio, ex-integrante do conjunto The Snakes, do qual RC fazia parte, o "rei" participou das gravações de um disco do grupo, em 1958, mas não quis aparecer nos créditos, porque já pensava em seguir carreira solo.

O PRIMEIRO ESTÉREO
O primeiro disco estéreo de Roberto Carlos foi "Em Ritmo de Aventura", lançado em 1967 nas duas versões, mono e estéreo. Na versão em estéreo, existe no alto da capa uma faixa azul com a palavra estéreo.

DE QUEM ERA A VOZ?
A voz misteriosa que fazia perguntas a Roberto Carlos dentro do programa Jovem Guarda era de dona Ruth Figueredo, mãe da cantora Martinha.

NOVO ENDEREÇO
O endereço de Roberto Carlos em novembro de 1967 era este: Rua Albuquerque Lins, 534, 3o andar, São Paulo/SP.

COMO RC CONHECEU NICE
Roberto Carlos conheceu Nice, sua futura mulher, quando ela esteve no programa Jovem Guarda acompanhando alunos do Orfanato São Judas Tadeu. Ana Paula, a filha, tinha dois anos.

ROBERTO DEIXA O JOVEM GUARDA
Foi no dia 17 de janeiro de 1968 que Roberto Carlos passou o comando do programa Jovem Guarda para Erasmo e Wanderléa. Dois motivos foram expostos: a carreira internacional de RC, e seu casamento marcado para maio daquele ano.

CHICO E RC
A Record planejou a criação do programa "O Rei e eu", com Chico Anísio e Roberto Carlos. Mas a idéia não vingou.

NOTÍCIAS DA ÉPOCA
A imprensa dizia: "Dona Laura é contra o casamento de Roberto Carlos com a desquitada Cleonice Rossi. Muita gente até acha que a namorada de RC foi a responsável pela saída dele do programa Jovem Guarda".

CONSAGRAÇÃO INTERNACIONAL DE RC
Foi no dia 3 de fevereiro de 1968, uma sexta-feira, que Roberto Carlos venceu o 18o festival de San Remo, na Itália, cantando "Canzone per te", de Sérgio Endrigo. O rei obteve 53 votos na frente dos concorrentes.

COMPÔS MAS NÃO GRAVOU
Roberto Carlos compôs na Europa uma música para a noiva Nice, com este título: "Eu darei toda esta cidade pra você". Mas, como se sabe, acabou não gravando.

REVELAÇÃO
Em 1968, saiu na revista Melodias: "Quando Roberto Carlos tinha 10 anos de idade e cantava na Rádio de Cachoeiro, uma de suas músicas preferidas era "Olinda", do pernambucano Capiba."

ESTRÉIA DO FILME
A estréia do filme "Roberto Carlos em Ritmo de Aventura" ocorreu no Cine Ipiranga, em São Paulo, em abril de 1968. Três mil pessoas esperavam pelo cantor e sua noiva, Nice Rossi. No palco, quem fez a apresentação do filme foi Ronald Golias.

BIENAL DO SAMBA
Roberto Carlos iria defender no dia 25 de maio de 1968 a música "Onda", de Tom Jobim, na 1a Bienal do Samba. Mas nesse dia, RC estaria estar de lua-de-mel.

CASAMENTO
O casamento de Roberto Carlos e Cleonice Rossi se deu no dia 10 de maio de 1968, uma sexta-feira, em Santa Cruz de La Sierra, Bolívia, às 9 e meia da noite. O compositor Fred Jorge e Luiz Carlos, irmão de Nice, foram os padrinhos. A lua-de-mel foi em Nova Iorque, onde o rei se encontrou com Ella Fitzgerald. Eles diziam que se o primeiro filho for uma menina vai se chamar Nice. Se for menino, será Roberto Carlos II (assim mesmo, com algarismos romanos).

RC NA ITÁLIA
Em julho de 1968, Roberto Carlos voltou da Itália, onde apresentou a música "Por isso corro demais", no Festival de Veneza. Lá, o rei brasileiro não consegue andar com tranqüilidade pelas ruas. As músicas mais tocadas nas rádios italianas são "Namoradinha de um amigo meu" e "Quero que tudo vá pro inferno".

O MEDALHÃO DE ROBERTO CARLOS
A partir de maio de 1968, RC passou a usar um medalhão no peito, banhado a ouro, com a imagem do Sagrado Coração de Jesus. O medalhão pertenceu por 25 anos à Irmã Fausta, sua professora de todas as matérias do curso primário no Colégio Coração de Jesus, de Cachoeiro do Itapemirim. Nessa época, Roberto Carlos tinha 7 anos de idade e fazia parte de uma classe de 34 alunos.

Atenção fãs de RC e pesquisadores:
Estou preparando mais curiosidades sobre a vida e a carreira do Rei. Se você tiver uma, mande-me:
Rua Japecanga, 57 - Prado - Recife /PE CEP 50.720-130 ou pelo e-mail rmedeiros@radiojornal.com.



 


 

 

     



www.danielbueno.com.br/curiosidades

© Roberval Medeiros 2003


Produzido por essecara.com